novembro 17, 2008

Manual de Etiqueta Sustentável

A preocupação com o meio ambiente e o futuro do planeta tornou-se uma preocupação constante na vida das pessoas. O que antes era algo distante de acontecer, hoje é fato: se não trabalharmos juntos em prol de um planeta mais saudável, acabaremos com a vida na Terra. Salvar o homem do aquecimento global e melhorar a qualidade de vida na Terra é uma condição para que as futuras gerações não sofram as consequências de nossas ações de hoje.

A luta pela sustentabilidade será vencida em diversas frentes – que vão da tecnologia à política. Mas em todas elas será preciso a mudança de hábitos pessoais. Mas como posso ajudar? Como constribuir? O que posso fazer, diante de minha aparente insignificância na Terra? Resposta: muita coisa, através de ações simples, rápidas, fáceis e muito transformadoras, as quais você poderá começar....agora!

Pensando nisso, o movimento Planeta Sustentável faz parte dessa corrente que pretende amenizar nosso impacto sobre o ambiente e tornar a convivência social cada vez mais civilizada. Para isso preparou o Manual de Etiqueta Sustentável para provar como é possível promover pequenos gestos que conduzirão a grandes mudanças se forem adotados por todos nós.

Um bom começo é praticar os “três erres”: reduzir, reutilizar e reciclar.

As dicas e informações que você vai ler aqui podem ser aplicadas no dia-a-dia agora mesmo, com mudança de hábitos em sua própria casa, no trabalho, circulando pelas ruas e em sua vida pessoal. Veja como começar a modificar os seus. Cada uma das 50 dicas trata de temas como: água, consumo, energia, lixo/reciclagem, mobilização/participação social/cidadania e transporte.


NA RUA
Como percorre a cidade de maneira mais amigável.
1
Na hora de comprar um carro, faça um cálculo simples de qual o tamanho ideal para suas necessidades. Veículos maiores consomem e poluem mais. Modelos do tipo flex fuel estão adequados às normas de proteção ao meio ambiente. Lembre-se: prefira abastecer com etanol.

2
Carro não é o meio de transporte ecologicamente mais correto. Use-o com moderação, em especial se tiver um enorme 4x4 a diesel. Ande mais em transporte coletivo ou reabilite sua magrela.

3
Compartilhe seu carro. “Pratique a carona solidária e diminua a emissão de poluentes, levando pessoas que fariam o mesmo trajeto separadamente”, recomenda o ambientalista Fábio Feldmann. Você vai se tornar o cara mais simpático da cidade.

4
Carro requer manutenção, não tem jeito. Faça uma regulagem periódica, sempre que possível. Troque o óleo nos prazos indicados pelo fabricante, verifique filtros de óleo e de ar. Todas essas medidas economizam combustível e ajudam a despejar menos CO2 no ar.

5
Que tal lavar o carro a seco? Existem diversas opções de lavagem sem água, algumas até mais baratas do que a tradicional, que consome centenas de litros do precioso líquido. Pense também em lavar menos seu carro.

6
Tem atitude mais grosseira que atirar lata ou outros dejetos pela janela do carro? O castigo para essa gafe é garantido: os resíduos despejados na rua são arrastados pela chuva, entopem bueiros, chegam aos rios e represas, causam enchentes e prejudicam a qualidade da água que consumimos.



EM CASA
Cidadela pessoal da sustentabilidade.
7
Os aparelhos que ficam dia e noite em modo stand by são mais uma nova invenção em nome do conforto. Só esqueceram de dizer que isso consome energia sem necessidade. Puxe a tomada de todos eles quando não estiverem em uso e tenha certeza: o valor de sua conta de luz vai cair bastante.

8
Na hora de comprar eletrodomésticos, escolha os mais eficientes. É possível reconhecê-los pelo selo do Procel (nas marcas nacionais) ou Energy Star (nos importados). Detalhe: isso não custa nada.

9
Viva seu dia com luz natural. Abra janelas, cortinas, persianas, deixe o sol entrar e iluminar sua casa em vez de acender lâmpadas. Além de fazer muito bem ao seu humor, você também vai economizar dinheiro no fim do mês.

10
Mude sua geladeira e seu freezer de lugar. Ao colocá-los próximos do fogão e de áreas onde bate sol, eles utilizam muito mais energia para compensar o ganho de temperatura. Aproveite para avaliar com seus botões: será que você precisa mesmo de um freezer?

11
Idéia luminosa é trocar as lâmpadas incandescentes do banheiro, da cozinha, da lavanderia ou da garagem pelas fluorescentes. O motivo é para lá de convincente: elas duram até 10 vezes mais, são mais eficientes e economizam até um terço de energia elétrica.

12
Ventiladores de teto consumem muito menos energia que os aparelhos de ar condicionado. Tudo bem, você prefere o ar condicionado. Então, ao menos use-o racionalmente, com portas e janelas fechadas e os filtros regularmente limpos.

13
Evite a torneira elétrica nos dias quentes. Aliás, para quê esquentar a água da pia se vivemos num país tropical? Pense nisso.

14
Atire a primeira pedra quem nunca esqueceu o carregador do celular ligado na tomada. Acredite: esse pequeno descuido gasta energia elétrica.

15
Pendure as roupas no varal em vez de usar a secadora. Recorra a ela apenas em casos mais urgentes. E aquele truque de colocar panos e roupas para secar atrás da geladeira deve ser abolido, pois consome energia extra.



NO TRABALHO
Faça o possível para mudar os hábitos da sua empresa. Ou mude de empresa.

32
Lute para que a companhia onde você trabalha adote atitudes mais sustentáveis. Pressione para que a direção da empresa tome medidas de economia de energia elétrica, água e materiais de consumo. Bem, se você não conseguir mudar nada, pense seriamente em mudar de emprego. Afinal de contas, você não precisa de chefe para ser bom cidadão.

33
Desabilite seu screen saver cheio de efeitos especiais. O monitor ligado, mesmo com aquele descanso de tela bacana, é responsável por até 80% do consumo do computador. Configure sua máquina para o modo de economia de energia. Assim, ele vai desligar automaticamente toda vez que você se ausentar.

34
A quantas reuniões rápidas você já teve de ir depois de enfrentar horas no trânsito para ir e voltar? Às vezes é possível resolver isso por telefone ou em programas de comunicação on-line de seu próprio computador.

35
Se tiver chance, prefira um notebook. Ele consome menos energia que um computador de mesa.

36
Prefira o papel ecoeficiente ou o reciclado. A produção do ecoeficiente usa os recursos da natureza de maneira racional. Tem como matéria-prima o eucalipto plantado para essa finalidade e colhido após sete anos. Para ficar com a aparência que todos conhecem, enfrenta processo de branqueamento. O papel ecoeficiente é feito de fibra de árvores manejadas de forma sustentável, evitando o impacto negativo no meio ambiente.

37
já reparou na quantidade de copos de plástico jogados no lixo no fim do expediente? Mude isso: traga de casa sua própria caneca ou uma garrafinha para água. Você ditará moda entre os colegas.

38
Quando precisar dos serviços de um portador prefira chamar um bikeboy, em vez de um motoboy. Além de mais barato, ele entrega seus documentos com maior rapidez. O que é melhor: sem poluir o ar nem provocar engarrafamentos.

39
Coloque nos seus planos trocar seu monitor comum por um de LCD. Eles são mais econômicos, ocupam menos espaço na mesa e estão ficando cada vez mais baratos.

40
Economize CDs e DVDs, que são feitos de plástico. A onda agora usar e abusar de mídias regraváveis como CD-RW ou DVD-RW, drives USB ou mesmo utilizando e-mail para carregar ou partilhar arquivos.

41
Imprima somente o que for mesmo necessário e procure aproveitar os dois lados da folha de papel. Tá certo, essa é uma daquelas dicas que você conhece bem. Mas a está colocando em prática?



NA VIDA PESSOAL

Transforme-se em um cidadão sustentável. Pequenos gestos podem produzir grandes resultados

42
Não troque seu celular por puro impulso. Se não resistir à tentação de comprar aquele modelo que só falta falar, ao menos deixe o seu modelo antigo na revendedora para reciclagem.

43
Esqueça-se do elevador e use mais a escada se tiver de subir ou descer um ou dois andares. Afinal, além da economia de energia elétrica, tanto esforço pode resultar em um corpinho mais saudável.

44
Faça seu dinheiro trabalhar a favor de causas nobres. diga ao gerente do banco que você quer aplicar em investimentos socialmente responsáveis, os ISRs. Dessa forma, seus lucros virão de empresas que respeitam práticas ambientais e trabalhistas.

45
Exerça a cidadania. A internet e o telefone são bons canais de comunicação com representantes de sua cidade, seu estado ou país. Mobilize-se e certifique-se de que seus interesses e os da comunidade sejam atendidos.

46
"Plante uma árvore. Ela pode absorver até 1 tonelada de CO2 durante sua vida e é bom abrigo para aves”, ensina Xico Graziano, secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Se você é daqueles que não gostam de sujar as mãos, ao menos inscreva-se em programas de plantio pela internet, como o Clickarvore.

47
Participe de sua comunidade, seja voluntário de uma instituição próxima da sua casa ou do trabalho. Doe um pouquinho do seu tempo para quem precisa.

48
Conscientize seus filhos dos problemas com o aquecimento global sem fazer terrorismo. A idéia não é deixá-los sem esperança, mas bem informados e dispostos a cuidar melhor do planeta que as gerações passadas.

49
Convença aquele amigo, parente ou vizinho mais cético de que as atitudes aqui sugeridas podem ajudar a mudar o mundo para melhor. Se você é o cético, comece a convencer-se disso. Afinal, alguém tem de fazer alguma coisa para reverter esse jogo a favor da sustentabilidade.

50
Fuja da alienação e influencie pessoas. Estar sempre bem informado também é um bom exemplo de atitude cidadã. Procure ler mais para ficar atualizado nos assuntos de interesse geral como política, economia, meio ambiente .e sustentabilidade.



Dica para sempre:
Uma das ações mais importantes deste manual é a seguinte: passe adiante este manual!! Discuta-o com os amigos, vizinhos, o pessoal do prédio. Disseminar as práticas aqui sugeridas é uma atitude sustentável. "O futuro a gente faz agora."


A seção "Post Verde" deste blog pretende informar e reunir algumas ações, publicadas aqui, que levarão à construção de um mundo melhor e mais civilizado, com desenvolvimento e sem comprometer o futuro.

7 comentários:

Roy disse...

Olha Miguel...
sou um pouco assim com roupas "sustentáveis"...
acho que é muito melhor você comprar uma calça jeans que dure anos, do que uma calça reciclada que você irá usar alguns meses...

MiguelCañas disse...

Aí é que está a questão, Roy: existe um pensamento que diz que as coisas não deveriam durar tanto. Imagine no caso da calça jeans que citaste: se todos nós comprarmos calças que durem a vida toda, onde colocaremos tanta calça no mundo? Porque as fábricas não pararão de produzir. Portanto, esse pensamento diz que as coisas deveriam primeiramente ser biodegradáveis ou recicláveis, e que durassem menos, para que não ocupem espaço no planeta e outras pessoas possam usa-las de outra maneira (conecito da reutilização/reciclagem): sempre a mesma matéria prima de origem, transformada em outra coisa.

Rafael tavares disse...

Dalhe!!!
ai que me refiro,

jah encaminhei para todos do trabalho,
vamos ver oque conseguimor por em prática por aqui,

um dos meus coleguinhas de trabalho respondeu e e.mail assim:

Bem dito, sustentabilidade não é apenas um conceito "ecologicamente correto". Não se propõe apenas a vertente Ecologia, pelo contrário a sustentabilidade é um tripé com das vertentes Economia, Sociedade e Ecologia.
Li sobre o assunto em meu TCC e encontrei o seguinte conceito simplificado: Sustentabilidade defende a idéia que as nossas necessidades atuais devem ser supridas sem comprometer as necessidades das próximas gerações. Isso não se aplica somente a preservação do meio ambiente e sim a inclusão social, fomento de processos de produção com matérias renováveis. Enfim existem N exemplos sobre a sustentabilidade, o que devemos mudar é a idéia que este conceito se aplica somente ao assunto sobre escassez dos recursos naturais. Creio que a sustentabilidade é um ciclo de equilíbrio. Abraço
Felipe.

Fermelha disse...

Uma ótima dica de leitura é o "Haverá a idade das coisas leves", trata exatamente da sustentabilidade como os meus amigos acima citaram..


"É uma reflexão sobre os objetos que invadem nosso cotidiano e pesam no meio ambiente, que poderiam ser leves e duráveis. Propõe o ecodesign: desenvolvimento de produtos e serviços planejados de forma sustentável desde sua concepção até sua reciclagem"



Mostra exemplos em diversos cantos do mundo, e pessoas que adotaram o sustentável como um ciclo participante da vida.


Valeu pessoal!

Mateus disse...

Pessoal!
É fantástico ver esses textos, essa ajuda coletiva. Isso já é sustentabilidade. O fazer o bem pro coletivo.

Quando dava aula de Ecodesign, há dois anos atrás, esse assunto era lenda. Coisa de Eco-chato. Se a gente mudar 1% do nosso desperdício, já estamos fazendo algo, além de gerar algum pro bolso!

E sobre as eco-bags, bolsas eco-chics de banner, tecido e outros tantos nomes, NUNCA vi uma no super. Até por quê são muito ruim de usá-las. Tem "design" feminino, alças grandes pra se colocar no ombro. Se nao for assim, a bolsa arrasta no chão. Como nós, homens, vamos sair do supermercado com uma eco-bolsa-ecológica-sustentável-chic no ombro?? Fora a caixa de leite te cutucando o suvaco... Não dá né??

Como diz o Miguel. Nossas mães e avós tinham aquela bolsa horrorosa de telinha azul com verde e um terceira cor à escolher, pra fazer a feira. Depois avançou pro carrinho dobrável... Por que não fazer bolsas com aquele formato? Diz que é retrô que vai fazer um sucesso absurdo.

Na onda dos livros, sugiro o livro Cradle to cradle, escrito por um arquiteto e um químico, onde fala basicamente que a indústria produz do material básico até virar lixo, e sugere que o modelo seja "do berço ao berço", ou melhor, "do pó ao pó" numa visão cristã, hehe! As indústrias seriam responsáveis pelo destino final de seus produtos, como já acontece hoje com baterias, pneus e outro produtos nocivos. Utopias à parte, é um bom começo.
Abraços
Mateus

Fermelha disse...

Pessoal...apenas lembrando das Eco bolsas chic...


Vi aqui no angeloni de bc...mas não me parecia caber muitas compras....


E o que mais me deixou feliz..foi esses dias..eu na fila do mercado..e uma senhora a minha frente..utilizando sua velha e ondosa sacola de feira....

MiguelCañas disse...

Fermelha,

Já li esse livro do "Haverá a idade das coisas leves", é muito bom! Informativo, prático e possui uma ótima diagramação também. Aliás, traz um pensamento que estava conversando com o Roy, que me dava uma opinião: comprar um produto dito de fabricação comum que durará mais tempo, mesmo que seja mais caro, do que comprar um produto ecológico ou reciclado que durará menos tempo.

Usufrua ao máximo dos produtos, tire deles tudo o que puder. No futuro o "produto" será um "serviço". Ou seja: o que interessa é quantas coisas eu consigo fazer com o mesmo produto, e no que eu posso transforma-lo depois. A matéria prima original é a mesma. Ela apenas se transforma.