novembro 27, 2008

Sobre a tragédia em Santa Catarina

Nesta terça-feira que passou estive à trabalho em Porto Alegre e retornei de helicóptero até Joinville, registrando o trajeto. Durante a viagem de 4 horas vi a paisagem se transformar aos poucos: de um céu azul, limpo, um verdadeiro dia de verão no Rio Grande do Sul às cenas trágicas que a chuva está deixando em Santa Catarina, como os deslizamentos do Morro do Cavalo e as enchentes.

Itajaí está debaixo d´água, a cidade quase desaparece do mapa. Nos horizontes a paisagem parece ter ganho novas e gigantes lagoas, de água doce e gosto amargo.

Como se vê nas imagens, nessas horas a natureza não distigue ricos de pobres, raças ou religiões. Todos tornam-se iguais, meros impotentes espectadores de sua força, atinge os bairros mais nobres e os menos privilegiados.

Falam do somatório de fatores climáticos que levou a esse estrago. Mas além disso, temos os desmatamentos e terraplanagens nas encostas dos morros que contribuem para os deslizamentos; a impermeabilização da cidade, cada vez com menos áreas verdes; a falta de planejamento e de todas as políticas públicas; um Plano Diretor que parece estar sempre à venda, que é modificado conforme convém (a alguém) e que permite de tudo, inclusive construir às margens de rios e zonas alagáveis...

Todos temos uma parcela de culpa neste processo. Resta como consolo aprendermos a lição de que podemos e devemos mudar para construir um futuro melhor para todos.

Uma das imagens foi publicada no jornal ANotícia de hoje, na coluna do Jefferson Saavedra. Compartilho abaixo outras fotos da viagem. Lamentável.












Um comentário:

Jordi Castan disse...

Impresionante,
Nada pode descrever melhor a magnitude da tragedia que estas imagens.
Imagens duras, impessoais, sem rostros, sem pessoas. Só com a natureza mostrando as consequencias das nossas ações.